O Herdeiro do Mundo 09

/O Herdeiro do Mundo 09
Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Yan Fonseca

Capítulo 09 – O Teste das Pílulas

Todos se reuniam na frente da entrada principal do prédio, onde um homem adulto estava de mãos para trás ao lado de um grande espelho em um tripé. Se alguém ficasse de frente a esse espelho, poderia ver o reflexo do corpo inteiro.

― Os que estão aqui pela primeira vez, um passo a frente. ― ordenou o homem.

Suas vestimentas brancas e folgadas, lhe dava um ar mais sério, e o deixava também com uma expressão mais velha. Era possível ver o símbolo imperial, um grifo azulado com asas douradas, estampada no peito do homem. Esse grifo era o símbolo usado por todos que serviam o imperador Elidas do continente Sul.

― Muito bem. ― observou o homem vendo que cerca de três alunos tinham dado um passo a frente, entre eles estava Rael que parecia o mais velho. ― Vocês podem me chamar de Instrutor Carlos. Agora vocês farão o Teste do Reflexo. O espelho dirá suas idades e seu poder de cultivo atual.

― Você. ― O homem deu um passo a frente em direção do jovem com cerca de doze anos. ― Me diga seu nome, idade e seu cultivo atual. ― ordenou ele.

― Instrutor Carlos, me chamo Sandro, tenho doze anos e estou no reino espiritual nascente da alma nível sete. ― se apresentou o jovem um pouco nervoso.

― Muito bem, vá até o espelho e encoste a palma de uma mão, fique assim por um tempo até ele brilhar. ― Disse o instrutor. O jovem obedeceu, e fez como ele havia sido ordenado.

Ao retirar a mão, o espelho realmente mostrou a idade certa, doze anos em cima, e embaixo apareceu o cultivo: espiritual nascente da alma nível seis. Tudo isso foi apresentado pelo espelho com letras douradas, que apareceram magicamente. Imediatamente vários alunos de trás começaram a ri, porque ninguém podia enganar o espelho, e ele tinha dito um nível mais alto do que seria.

Sandro voltou pro seu lugar corado de vergonha, enquanto o espelho se normalizava deixando as letras brilhantes sumirem. O instrutor apenas mandou todos ficarem em silêncio, e fez algumas anotações em um caderno, que tinha acabado de retirar do seu bracelete, depois o fez desaparecer. Em seguida se virou para a menina ao lado de Rael. Ele fez as mesmas perguntas e a mandou fazer o teste depois da apresentação. Treze anos, espiritual nascente da alma nível sete, essa não havia mentido. Novas anotações e finalmente a vez de Rael.

― Instrutor Carlos, me chamo Samuel, tenho quinze anos e meu cultivo é Espiritual Formação da Alma nível cinco. ― se apresentou Rael após o instrutor perguntar.

Vários ficaram impressionados porque julgavam que Rael seria mais velho, além disso, ele já poderia ser considerado um gênio, estando no Espiritual formação da Alma nível cinco com apenas quinze anos. Até mesmo o instrutor ficou surpreso.

― Vá, faça o teste! ― ordenou o instrutor.

É obvio que muitos já tinham sentido o nível de Rael e não duvidavam de suas palavras, mas sua idade era mesmo apenas quinze anos? Ele parecia tão estiloso, alto, forte, nem parecia um simples jovem comum.

Mara que estava atrás da multidão acompanhando com um olhar, ficou ainda mais fascinada. Ela não tirou os olhos de Rael por nenhum momento. Ela queria conhecer Rael cada vez mais, e não poderia perder nenhum detalhe.

Rael estendeu a mão e tocou no espelho. Violeta tinha falado a respeito desse tipo de artefato mágico, mas ele não precisava se preocupar, nem mesmo isso poderia descobrir o real poder dele, bastava ele se concentrar.

Então tudo foi de acordo. Quinze anos e Espiritual Formação da Alma nível cinco. Houve alguns segundos de silêncio e ninguém tirava os olhos de Rael, mas podia-se notar um olhar meio deprimido por parte das meninas.

Depois de saberem, que Mara do clã Torres, tinha interesse nele, elas não ousariam entrar no caminho dela. Tomas por outro lado ficou se mordendo de raiva.

― Muito bem, vocês agora ganharão um número, e serão tratados por esse número, aqui está. Sempre usem isso no pescoço enquanto estiverem nos domínios da escola, de outra forma, serão penalizados e poderão até serem expulsos. ― o instrutor entregou uma corrente de pescoço para cada um dos três.

Essa corrente tinha uma pequena placa de metal quadrada, de uns sete centímetros, onde continham uma numeração de até quatro dígitos. Rael havia ganho o de mil e cem.

Depois daquele evento, o instrutor colocou o espelho dentro do bracelete, e liberou as portas duplas de madeira seguindo caminho a frente. Quase todos o acompanharam enquanto faziam surgir as correntes com a placa numérica.

Tomas por outro lado, decidiu recuar, ele tinha visto Mara seguindo o fluxo atrás de Rael e estava com medo dela.

Rita conseguiu alcançar Rael enquanto ajeitava sua corrente no pescoço. Mara não usava corrente nenhuma, ela era do clã Torres, estava como visita, e mesmo que estivesse vindo todos os dias, ninguém ousaria dizer qualquer coisa a ela.

― Samuel você conhece aquela mulher do clã Torres? Ela se chama Mara não é? Me lembro dela ter se apresentado. ― disse Rita baixinho perto de Rael.

Rael sentiu seu sangue ferver, porque novamente se lembrou de seu passado, e o motivo pelo qual ele tinha voltado a essa cidade. Mesmo com raiva, ele a segurou toda, suspirou lentamente e em seguida respondeu.

― Foi a primeira vez que a vi. ― Rael teve que mentir.

Ele realmente não sabia porque Mara tinha interesse nele, ela provavelmente não saberia de sua identidade verdadeira, se não, ela não o teria tratado daquela forma.

― Você sabe quem é o clã Torres? Eles são extremamente perigosos. Estão entre as cinco potências do nosso continente Sul. Estão até acima das forças imperiais que protegem as leis. Nem mesmo a família Imperial Grifem, ousaria mover qualquer dedo contra eles. ― explicou Rita com um ar bem sério.

Ela queria ter certeza que Rael absorvesse aquela explicação, porque se ele ousasse ser arrogante com Mara, isso seria um desastre sem limites.

― Eu sei, pode ficar tranquila. ― disse Rael.

― Então o que vai fazer? Se ela disse aquilo ainda virá atrás de você. ― disse Rita preocupada.

As palavras de Mara, eram sem duvidas misteriosas, mas também tinham um fluxo claro. Mara estava interessada em Rael, em sua força ou em sua aparência, ou nos dois. Como Rita era uma garota ainda nova, ela não tinha toda certeza, mas seu coração batia silenciosamente dizendo que poderia ser algo como aquilo. Ela mal tinha ganhado um irmão e talvez já fosse perder.

― Preciso saber o que ela quer de mim. ― disse Rael sem pensar muito.

Rita ouviu isso e ficou em silêncio. Rael estava com medo que talvez Mara tivesse descoberto a verdade, se esse era o caso, ele deveria dar um fim rápido a ela.

Nenhuma garota além de Rita, ousava ficar perto de Rael depois daquelas palavras, nem se quer davam mais de uma olhada para ele. Estava claro para todos os presentes quais eram as intenções de Mara, somente Rita queria acreditar no contrário, e somente Rael não fazia ideia do que realmente Mara queria. Tudo que ele desconfiava era que sua identidade poderia ter sido exposta.

Todas as centenas de alunos se reuniram em um enorme salão, e fizeram um circulo em volta de uma grande mesa de madeira. Na mesa havia várias ervas, jarros com líquidos, pedras espirituais, essências, entre outras coisas de alquimia.

Um velho homem estava arrumando a mesa e ajeitando os ingredientes. Depois, ele se virou para todos e se apresentou casualmente, pediu apenas que o chamassem de Mestre Alquimista. Muitos já o conheciam, mas como diariamente havia novatos, ele sempre se apresentava todas as vezes.

A alquimia não pode ser alcançada facilmente por todos. Pessoas que não escolheram sua liberação inicial como vida, água ou vento, dificilmente teriam qualquer chance de serem verdadeiros mestres nessa categoria.

Poderiam sim ter um conhecimento básico, desenvolver remédios e pílulas de baixa qualidade. Enquanto os que escolheram a liberação (vida), teriam uma aptidão extra e especial para alquimia, devido a alta sensibilidade e manejo perfeito das ervas e ingredientes.

Os mesmos usariam sua liberação da vida para dar mais poder aos ingredientes, tornando mais fácil obter melhores resultados.

O velho virou-se e girou a cabeça, olhando o grande número de alunos que o observava curiosos. Alquimia era uma das aulas mais importantes, mesmo que fosse apenas para aprender fórmulas de simples remédios, ninguém deixaria de querer essa sabedoria. Porque nesse mundo até remédios costumavam ser caros, principalmente para pessoas de classe baixa.

― Vejo que estão animados hoje também. ― disse o velho com uma voz firme e forte, ele não queria que ninguém perdesse uma só palavra dele.

Ele tinha um grande orgulho de passar seu conhecimento a outros, ainda mais quando esses queriam tanto ouvir. ― Esse Mestre Alquimista hoje, vai lhes ensinar a criar pílulas do Pequeno Crescimento da Alma. ― quando ele disse isso, todos os alunos suspiraram e seus corações quase saíram de suas bocas.

Mesmo que fosse a mais baixa qualidade de pílulas, qualquer um podia aprender, e se esforçar para criar suas próprias pílulas. Essas pílulas, ainda que fossem da mais baixa qualidade, eram vendidas por um valor alto comparado a pessoas de baixa classe. Elas podiam acelerar o cultivo de uma pessoa, em até vinte por cento durante uma semana inteira! Isso seria um sonho para qualquer um.

Os jovens não disseram nada, mas a multidão que estava cercando o Mestre Alquimista se aproximou, ficando a poucos metros dele. A parte de trás da mesa não havia ninguém antes, agora tinham lá centenas de alunos, que haviam se espalhado, para terem mais visão.

Por sorte o velho tinha posto sua mesa para longe da parede. Ele não deixou de sorrir ao ver a empolgação de seus alunos.

Ele era um homem bom e não poupava esforços para ajudar pessoas pobres. Por isso, mesmo as aulas de uma escola dessas de pouca qualidade, ele ainda conseguia trazer grandes ensinamentos.

Por essa razão, os alunos olhavam para ele com profundo respeito e afeto. Ninguém jamais ousava pensar ou ter qualquer sentimento de maldade com ele.

― Muito bem! Já que vocês estão tão animados vamos começar imediatamente! ― Disse o velho.

Ele fez surgir uma pequena fornalha de metal, e a depositou no espaço no meio da mesa. Do lado da fornalha ele depositou uma tábua larga, dessas usadas pra corta carne.

Em seguida separou dois tipos de ervas, uma pedra espiritual e um pequeno vidro contendo um pouco de essência que se parecia com água brilhante.

― Todos olhem atentamente. ― o velho explicava enquanto ia de um lado para o outro, para que todos pudessem ver claramente os artigos.

Os alunos levantavam suas cabeças e quase se empurravam para poderem ver melhor.

― Erva Calêndula e erva Dente-de-Leão. ― o velho fez uma pausa e apresentou a duas ervas, girando e deixando todos verem. As duas ervas, estavam em ótima qualidade.

― E agora esta é a essência de um rio de águas puras. Ela pode ser conseguida facilmente em qualquer rio de águas limpas ou córrego no amanhecer do dia, onde o sol começa a nascer. Se vocês observarem com cuidado, perceberão que a água está brilhando. ― o velho apresentou um pequeno vidro em formato oval para todos, onde estava depositado uma pequena quantidade de água brilhante.

― Lembrem-se, uma vez que vocês colham a água, ela não pode ser destampada a não ser na hora do uso, caso façam isso, perderão a essência após alguns minutos. É por isso que não adianta colher grandes quantidades em uma mesma garrafa.

― Por último e não menos importante, uma pedra espiritual de rank mais baixo de qualquer besta do tipo terra. Essas bestas, podem ser facilmente caçadas e derrotadas por qualquer um de vocês, mas vocês podem se agrupar, se sentirem dificuldades. As montanhas ao norte, na região do Pico do Mergulho, são os melhores locais de caças, para quem procura essas bestas. Vocês só devem ter cuidado em não irem muito longe, porque existem outras bestas de rank maior ao fundo. ― após a explicação o velho fez uma pausa e lembrou.

― Os dois tipos de ervas, também podem ser conseguidos na mesma região de caça que citei agora. Como vocês podem ver, tudo para a criação das pílulas pode ser conseguido apenas com um pouco de esforço, mas é claro, vocês ainda podem comprar os ingredientes se acharem que não vale o trabalho. ― explicou ele.

Ninguém perdeu qualquer explicação, todos estavam com olhares focados. Rael estava em silêncio percebendo que o nível de alquimia nessa cidade era tão pobre que se Violeta visse, provavelmente iria rir por meses ou talvez por anos.

Rael percebeu o desperdício de ingredientes, era óbvio que o velho estava tentando ajudar os alunos, mas aquilo era simplesmente desperdiçar materiais atoa. Rael até previu o que velho diria a seguir. Com aquele material, seria possível criar até cinco pílulas com potências de vinte por cento.

― Agora vamos a parte de criação. Com esse material poderemos desenvolver até cinco pílulas se não houver nenhuma falha. ― explicou o velho.

Todos ficaram atentos para cada ação. A primeira coisa que o velho fez, foi tirar do bracelete, uma pequena fôrma de metal com dez espaços dentro. Ele a mostrou para todos, a levantando e girando no ar.

― Não se esqueçam que além da fornalha, vocês precisarão também da fôrma de alquimista. ― depois disso ele juntou as duas ervas em cima da fôrma.

Abriu o vidro de água brilhante e derramou por cima das ervas que logo começaram a brilhar. Em seguida ele quebrou a pequena pedra espiritual, da besta de rank baixo, nas mãos e uma pequena poeira com traços de terra foi derramado por cimas das ervas. Depois ele mexeu as ervas as massageando nas mãos, fazendo com que, os ingredientes se espalhassem o máximo possível.

― Como podem ver, o processo é simples, juntei as ervas, molhei com a essência e em seguida, adicionei o poder de uma pedra espiritual de uma besta de rank mais baixo do tipo terra. Feito todos esses passos, eu massageie as ervas para fundir melhor os ingredientes. Agora vou concentrar minha energia acima das ervas e condensá-las para dentro da fôrma. Isso é semelhante a quando vocês utilizam a energia para ampliar o poder em armas, só que nesse caso, nós vamos simplesmente usá-la para empurrar as ervas para a fôrma. Vocês perceberão, que as ervas junto aos ingredientes, virarão uma pasta. ― disse o velho, enquanto estendia a palma por cima das ervas que estavam em cima da fôrma.

Então a mão dele brilhou e uma aura de energia impulsionou para baixo. As ervas sumiram, e logo cinco espaços da fôrma foram preenchidos com uma pasta verde e amarela brilhante misturadas.

― Pronto esse é o resultado perfeito. Agora a levamos a fornalha e aguardamos vinte minutos. ― o velho abriu a tampa da fornalha, depositou a fôrma cuidadosamente, depois fechou a tampa e adicionou aura em cima da fornalha a fazendo ser acionada.

O velho então deu mais algumas explicações sobre o processo, o qual todos ficaram escutando atentamente. Passando os vinte minutos, ele depositou um pouco de aura na fornalha que em seguida foi apagada e finalmente retirou a fôrma. Para não se queimar, ele usou aura nas mãos. Quase todas as cabeças se ergueram, enquanto sentiam um fraco aroma doce das pílulas recém criadas.

― Ótimo! Conseguimos criar perfeitamente quatro pílulas do Pequeno Crescimento da Alma. ― o velho disse animado e todos ficaram impressionados.

Com quatro pílulas, um especialista podia treinar por um mês inteiro! Então durante um mês todos teriam seus crescimentos aumentados em vinte por cento. Aquilo fez vários engolirem salivas. As pílulas ocupavam os lugares na fôrma e eram redondinhas, com um formato até três vezes menor do que aparentemente estavam antes de irem para a fornalha.

― Eu chamarei alguns números aleatórios, quando eu chamar venham a frente, os chamados receberão uma pílula cada. ― disse o velho. Todos se animaram com um grande “Ebaaaa!”.

Conforme os números eram chamados, os alunos seguiam e recebiam. Cerca de dez números dos chamados não estavam presentes, e ele apenas passava para os números seguintes, que vinham em sua imaginação. Durante esse processo ele não olhou os alunos para não dar preferência a ninguém. Apenas olhava confirmando as correntes antes de entregar cada pílula.

― Certo como viram todo o processo foi simples, alguém está disposto a tentar? Se alguém tiver coragem venha a frente, eu disponibilizarei os ingredientes. Caso tenha sucesso, quem conseguir pode ficar com as pílulas, como uma gratificação de um trabalho bem feito. Esse é um simples teste. ― disse o velho e imediatamente virou-se, e soltou os novos ingredientes em cima da tábua, deixando também a fôrma agora limpa no mesmo lugar.

Os alunos estavam animados para tentar, mas tinham medo de cometer erros em frente a tantos colegas. Quem fizesse algo errado ali iria sofrer humilhações por um longo tempo. Mesmo que tivessem certeza que poderiam ter sucesso, a falta de coragem não os deixavam aceitar.

Rael se lembrava que Violeta havia dito, ele deveria aparecer e mostrar seus talentos em qualquer situação possível, porque se ele ficasse se ocultando demais não atingiria seus objetivos.

Rael pensou cuidadosamente e então tomou a sua decisão. Ele foi pedindo licença e passando pelos colegas que estavam a sua frente. Até finalmente conseguir sair na frente do velho

― Mestre Alquimista, eu sou o número Mil e Cem, me deixe tentar. ― Rael falava tão calmo com o velho que até o deixou surpreso.

Tudo bem que ele era um velho humilde, mas numa situação como aquela, onde ele seria posto a prova na frente de centenas de colegas, não era algo tão natural assim. Os alunos ficaram ali em silêncio vendo Rael, mais uma vez ganhar a cena.

Antes ele já tinha chamado a atenção desafiando e humilhando um movimento de Sérgio, depois ele teve a atenção de Mara, e agora ele queria tentar criar pílulas do Pequeno Crescimento da Alma? Todos não deixaram de suspirar, porque mesmo se ele não tivesse sucesso, ninguém iria ri dele, ninguém ousaria.

Então alguns até ficaram desanimados seguindo esse pensamento. Para a maioria ali presente, Rael era mesmo o cara mais indicado para aceitar aquele teste.

― Muito bem meu jovem, apresse-se e comece então. Este Mestre vai apenas ficar observando. ― disse o velho deixando sua posição clara, ele não ajudaria Rael em nada.

― Mestre Alquimista, eu tenho permissão pra adicionar um ingrediente a mais? ― perguntou Rael se virando para o velho.

O velho piscou surpreso, porque em todos os seus anos de estudos, nunca ouviu falar de nenhuma maneira diferente de criar pílulas do Pequeno Crescimento da Alma.

― Eu não entendo, não estão ai todos os ingredientes? ― perguntou o velho, e até mesmo moveu a cabeça olhando todos os quatro ingredientes em cima da tábua, só para confirmar.

― Da maneira que o Mestre Alquimista fez, estão. ― disse Rael respeitosamente.

O velho não deixou de se perguntar mentalmente o que Rael queria dizer com aquilo, mas olhando a seriedade e a postura firme de Rael, ele apenas concordou.

― Embora esse mestre não saiba o que você quer fazer, vou deixar que faça da sua maneira. ― acrescentou o velho.

― Obrigado. ― respondeu Rael agradecendo ele levemente e se virou para a tábua.

Todos os alunos começaram a zombar de Rael mentalmente. Se o Mestre Alquimista não conhecia qualquer outro modo de preparo das pílulas, então Rael só poderia estar tentando passar vergonha.

Rita estava em seu lugar preocupada, e conseguia ver, com dificuldade, a mesa onde Rael estava prestes a começar.

Do outro lado, em meio entre alguns alunos com um espaço bem aberto, estava Mara. Todos que a viram abriram um círculo ao redor dela e até saíram de sua frente, deixando que ela visse cada movimento de Rael.

Se Rael olhasse naquela direção, ele veria Mara facilmente, mas naquele momento, ele estava distraído fazendo as preparações.

Rael não se virou para a multidão, apenas retirou de seu bracelete uma simples erva Camomila. Essa erva não tinha nenhum uso especial a não ser o fato de ser usada para fazer chá.

Pelo menos era o que velho pensava, e qualquer um que entendesse o mínimo de alquimia.

― Erva Camomila? ― O velho perguntou alto demais.

Ele ficou completamente surpreso com aquilo. Logo quando isso caiu sobre os ouvidos dos alunos, todos começaram a zombar ainda mais mentalmente, achando que Rael era algum tipo de doente mental.

Rita por outro lado sabia que ele iria surpreender a todos mais uma vez, e ela ficou apenas esperando o resultado.

Mara por sua vez estava séria, ela não sabia muito de Rael, além de que a mãe tinha morrido anos atrás e que ele tinha ficado alguns anos com uma mestra desconhecida.

Mesmo com todo o poder de reunir informações dela, ninguém na antiga cidade que Rael provavelmente viveu, tinha muitas informações dessa mestra. Violeta tinha preparado todo o terreno sabendo que isso iria ocorrer.

― Exatamente. ― concordou Rael olhando o velho de lado.

Depois ele fez todo o mesmo processo do velho, sem mudar em nada. Juntou as três ervas, adicionou a essência de água, misturou a força da pedra espiritual nas ervas, adicionou seu poder fazendo as ervas virarem pastas, e essas ocuparam os dez lugares da fôrma.

O velho embora tenha ficado chocado, ele acreditava que aquilo ia ser uma falha grande, mas não disse nada, ficou em silêncio.

Os alunos apenas riam mentalmente. Eles não iriam rir de Rael na frente dele, mas quando dessem as costas seu nome seria uma piada completa em toda a cidade.

Mara estava lá de braços cruzados com seu olhar de águia fixo em Rael, ela não tinha certeza sobre os resultados, mas podia sentir toda a confiança nas ações de Rael.

Além disso, cada vez que ela o olhava, ela se sentia estranhamente familiar, era como se, em algum momento, ela talvez tivesse o conhecido. Mara nunca se sentiu atraída por nenhum homem antes, mas Rael claramente estava fisgando sua atenção.

Dez minutos depois, Rael apagou a fornalha chocando ainda mais a todos. Ele não deixou os vinte minutos, foram apenas dez. Até mesmo o velho ficou ali preocupado.

― Está pronto Mestre Alquimista. Eu pedirei que o senhor mesmo abra a fornalha, e confirme os resultados, para não parecer que eu alterei qualquer coisa. ― as palavras de Rael surpreenderam o velho mais uma vez, e todos os alunos levantaram suas sobrancelhas.

Eles se lembraram dos dois erros cometidos por Rael. Uma erva de fazer chá como ingrediente e metade do tempo correto. Depois todos ficaram lá parados, apenas esperando a grande piada que seria as possíveis pílulas de Rael.

Quando o velho abriu a fornalha, uma fumaça amarela se espalhou pelo ar com intensidade, até mesmo os que estavam nas pontas puderam sentir o forte aroma doce das pílulas. O velho retirou a fôrma com perfeitas dez pílulas laranja.

As feitas antes pelo velho tinham sido amarelas, mas essas tinham a cor laranja e tinham o mesmo tamanho das de antes. O velho então pegou uma entre dois dedos e usou seu poder para avaliar a pílula. Quando ele percebeu o resultado, seu braço que segurava a pílula e a fôrma começaram a tremer. Rael ficou do lado de mãos para trás em silêncio olhando apenas para os colegas na frente, ele evitou olhar para a multidão.

― Isso-isso-isso… isso não é possível! ― disse o velho ainda chocado. Todos os alunos ficaram ali curiosos porque não entendiam o que o velho estava tentado dizer.

― Essa é a pílula do Pequeno Crescimento da Alma mais incrível que já vi! Seu efeito pode aumentar o treinamento em até quarenta por cento e talvez dure quinze dias cada! ― Quando o velho disse isso, faltava pouco para todos desmaiarem em seus lugares.

Eles estavam todos pensando que Rael seria uma piada, mas caíram de seus cavalos. Todos estavam agradecidos enormemente por só terem zombado de Rael em suas mentes. Eles suspiravam aliviados por seus pensamentos não terem sido ouvidos.

Naquele momento, se as garotas pudessem, elas voariam em Rael, e forçariam uma relação com todas as forças. Um homem com aquele conhecimento, iria com certeza abalar o mundo, e qualquer mulher ao seu lado receberia tanto respeito que poderia ser considerada até do nível de uma princesa.

Já os garotos e rapazes estavam boquiabertos, morriam de inveja do fundo de seus corações, e aquela não era a primeira vez hoje. Eles precisavam criar laços urgentes com Rael, pelo menos eles estavam livres das garras ciumentas de Mara. Ao contrário das garotas que só podiam lamentar seus cruéis destinos.

― Meu-meu jovem, por-por favor, diga o seu nome a este velho mestre. ― O velho mudou completamente o tom de como ele tratava Rael. Não que ele tivesse sido grosseiro, é que agora, ele o tratava como se fosse seu próprio mestre!

― Me chamo Samuel, Mestre Alquimista. ― disse Rael educadamente.

― Eu não mereço esse titulo perto do jovem mestre Samuel. Hahaha. ― o velho riu sem jeito por alguns segundos. Depois ficou sério e reuniu todas as dez pílulas nas mãos estendendo a Rael.

― Bom, como você conseguiu, então essas pílulas são suas. ― disse o velho.

Os alunos tinham olhares tão grandes, que se pudessem tomariam as pílulas com os próprios olhos, enquanto engoliam litros de saliva.

― Pode ficar e distribuir para os meus colegas, eu não preciso dessas pílulas. ― disse Rael casualmente.

Depois se virou e saiu andando calmamente, se juntando aos seus colegas que imediatamente abriram espaço pra ele passar, até que ele conseguiu voltar para o lado de Rita. Ninguém podia ficar mais chocado do que já estava. Rael fez pílulas incríveis e disse que não precisava delas.

Ainda por cima as deixou nas mãos do Mestre Alquimista para que ele entregasse aos colegas. Então aquelas pílulas para ele eram iguais a nada? Cada pílula daquela valeria uma fortuna se fosse colocada a venda e ele casualmente, as deixou nas mãos do Mestre Alquimista.

Rita olhou silenciosamente para Rael com um enorme orgulho. Aquele era seu irmão mais velho, lindo, misterioso, talentoso e ainda por cima entendia de alquimia! Ela não poderia estar mais feliz.

O peito de Mara descia e subia excitadamente enquanto ela suspirava, seu coração estava batendo tanto que não era possível ficar mais acelerado. Se ela voltasse com Rael para o seu clã, seus pais ficariam muito orgulhosos e até o patriarca Romeo ficaria orgulhoso também.

Talvez o ramo principal da família, até poderia mudar se ela se casasse com Rael. Mara estava ainda mais disposta a fazer Rael ser dela.

Então ela se virou na direção dele, e lá estava aquela garotinha mais uma vez com ele, os dois conversavam tão naturalmente, o que deixou Mara na mesma hora gelada de ódio.

Ela já tinha deixado bem claro suas intensões, e ainda a pirralha ousava entrar em seu caminho. Os olhos de Mara se focaram em Rita com uma pura e fria intenção de matar.

Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo
Contribua com o novo site da Saikai Scan
By | 2017-08-17T22:08:01+00:00 17/08/2017 as 4:23|Herdeiro do Mundo|41 Comments

About the Author:

Yamasuke
Mais um procrastinador de plantão !
  • vitor eduardo

    Tadinha… não sabe o que a aguarda kkkkkkkkk

  • All

    Da nada cara de Mara-Maravilha ai Real

  • Janailson Barbosa Granja

    Obrigado pelo capítulo

  • rafael1295

    Esse povo que acha que é um mestre alquimista

  • Fullero.com

    muito bom.

  • KaoriMiyazono

    Mestre alquimista ATA kkkkkkkk
    Tá mais para comediante!

  • Igor Santana

    pera, eles expulsaram o rael do clã não só expulsaram como mataram e agora ela acha que via levar ele de volta? tá pedindo pra morrer não tá não?

    • Yamasuke

      Tecnicamente não o expulsou, “apenas” o matou.

      • Igor Santana

        digo expulsou pois ele sobreviveu e tbm me faz lembrar que se algum dia eu empurrar alguém de um penhasco sei lá por qualquer motivo, por via das duvidas é melhor verificar que seu proposito foi cumprido, pra evitar altas tretas :v

    • koloke

      Pse cara mas ela não sabe quem é ele

      • Igor Santana

        eu sei disso, é só que é meio irônico a forma como expulsaram o mesmo e a forma que vão tentar obriga-lo a voltar, só que dessa vez vai dar ruim pra eles.

  • Henrique Neiva

    Tô achando que Rael vai usar Mara pra entrar no clã Torre pra ver sua irmã e começar sua vingança.

    Vlw pelo cap.

  • Dannyel Batista

    O cara não pode nem ter uma irmã e falar com ela, que a irmã ja pega uma sentença de morte kkkkk mulher doida essa

    Obrigado pelo capítulo!

  • Brentyu

    To vendo a vadiazinha se fudendo

  • Davi Rhodis

    Os alunos apenas riam mentalmente. Eles não iriam rir de Rael na frente dele, mas quando dessem as costas seu nome seria uma piada completa em toda a cidade.
    Sorte que o Rael e tranquilo, já eu… não sou então iria fazer isso:

    https://uploads.disquscdn.com/images/a93efc37a227744eba7010d483025f17d08581dca2f8cb13cf1b8aa31cb6145b.gif

    • Henrique Neiva

      Kkkkkkkkkkkkk seria da hora uma Sena que as pessoas falariam merda e ele calase a boca de todos

  • Ronald Gonçalves Beruth

    Eita acho q essa Mara vai fica mal

    • Tyrone Costa

      ela já é má mano, ela judiava do Rael quando era pequena.

  • cassio

    A novel tá boa, tá MT boa, que comecem as tretas kkkkk
    Quero ver Mara morfar quando souber que Rita é uma suposta irmã de “Samuel/Rael” kkkkk
    Acho que Mara vai ser um brinquedo que Rael vai usar pra sua vingança kkkk
    Mas ainda acho o Rael meio “inocente D+”, esse cara precisa de malícia pra ser mais esperto que os outros, ele é inteligente mas falta malícia, astúcia, falta ele saber tudo oq os outros pensam sem saber oq ele pensa pra ele estar 10 passos a frente sempre!!!
    De todo modo a novel tá MT boa e espero cada vez mais, obg pelo cap.

    • Tyrone Costa

      Eu concordo q falta malícia nele, mas a gente tem q ver o contexto q ele viveu isolado da galera e por isso q ele não entende bem essas sacanagens q a gente tanto adora kkkk

      Aviso ae pro Ed: não faz prota virjão nãokkkkk desanima quando os prota entende das coisas mas quando tem a oportunidade é mó viadão kkkkk

  • Tyrone Costa

    Seria bom q esse Rael use essa Mara para os objetivos maiores da vingança dele e não dessa pequena ainda.

    • z_TREVOL_z

      Como vc define “usar”? Naquele sentido ou naquele outro sentido? haha

      • Tyrone Costa

        É naquele sentido msm mano se é q me entende kkk

        • Black Rock Shooter-kun

          achu q ela pod acabar sendo q nem long yuyin de TDG,tipo nie lie odiava ela mas acabo sendo o mestre dela,achu q tem uma provabilidade disso acontecer

          • Tyrone Costa

            Não tem não, ali é diferente, o q aconteceu com o Nie li foi no futuro! Ai quando ele reincarnou ela ainda era inocente, ela não era aquela q ele tinha conhecido.

  • koloke

    Legal Muito legal cap longo e super interessante vou continuar a ler esta novel

  • Jackson Oboni

    Para que esperar tanto? Soh mate todo mundo nam.

  • Jackson Oboni

    A mina não sabe que a guria é irma do cara?

  • koloke

    Cara para mim esua vai ser uma ótima chance dele ter uma impressão horrível dela e assim tentar afastar ela mais com o discurso de vc estar suprimindo a minha irmã

  • Ryuuji

    Ta sendo interessante

  • Micael D. Valerio

    Sai quantos cap por semana?

  • Micael D. Valerio

    Bem q podia almenta a quantidade de cap por semana até a novel deixa a gente mais preso nela pq se n desanima

  • Cass Beck

    Antes você tinha minha curiosidade agora você tem minha atenção!

  • Shirosaki

    Vamos vê como essa vingança do Rael se desenvolve.
    Vlw’s pelo cap. zD

  • Kyoua Eduardo

    Aaaaaaa isso ta mt bom. Obg pelo cap <3

  • Yun Zynnnn

    eu vou rir de dms quando ela descobrir kkkkkkkkkkkk