O Herdeiro do Mundo 15

/O Herdeiro do Mundo 15
Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Yan Fonseca

Capítulo 15 – A Misteriosa garota com a aura de Rose

Rael não conseguiu pensar em nada a não ser uma desculpa parecida com a verdade.

Ele disse que a besta mentalmente pediu ajuda dele para resgatar a filha e não fazia ideia de como a besta falou na mente dele. Então assim ele se pôs a ajudar.

Rita não tinha o que fazer, mas ter que acreditar, porque a história de Rael era convincente. Ela ainda ficou chocada quando Rael disse que elas eram fêmeas, por não ver a versão masculina ninguém poderia dizer o sexo delas. Isso era natural.

Rael estava com apenas 20% de sua força. Devido o uso do (Mergulho da Escuridão) e por causa de sua fuga com Rose onde ele teve que fazer grandes esforços.

Voltando pelo caminho eles conseguiram recuperar a lança de Rita. Eles seguiam em um passo bem mais calmo agora que os problemas tinham sido resolvidos.

Por causa do que havia acontecido, todas as bestas de rank mais baixo haviam se escondido ou fugido das regiões próximas. Eles não toparam com nenhuma no caminho para casa.

Pelo caminho, toparam com vários grupos de buscas de cultivadores de alto nível, que ao perceberem que havia algo de errado, se juntaram e foram para a região.

Quando questionados sobre o ocorrido, Rael escolheu mentir dizendo que não sabia de nada. Disse que apenas sentiu o nível de uma forte besta e fugiu. Rita apenas concordou sem dizer nada. Era difícil alguém acreditar na história de Rael, e Rita entendia isso.

Rita já tinha quase 14 anos, mas sempre foi uma garota de mente aberta. Ela lia incontáveis livros sempre buscando aumentar seus conhecimentos.

Barbara era uma mãe bem protetora e para evitar que a filha não avançasse o sinal antes do tempo, sempre foi aberta sobre tudo no que se diz respeito ao mundo sexual. Por isso Rita tinha uma mente bem formada a respeito dessas coisas mesmo com apenas 13 anos.

De volta em casa, Adam entregou a Rael uma carta enviada pela escola. Era do Mestre Alquimista, o mesmo queria vê-lo novamente e perguntava sobre quando ele poderia voltar.

Rael já sabia que ele deveria ter tentado criar a pílula com a erva camomila e havia falhado, ou possivelmente, queriam convidá-lo a uma escola de nível superior.

Naquela noite, Rael tinha coisas mais importantes a fazer. Ele disse a si mesmo que não haveria problema se por em perigo, mas colocar em perigo pessoas inocentes por causa de seus objetivos não era um plano muito bom.

Mesmo conhecendo a pouco tempo a família de Rita, ele disse a si mesmo mentalmente que deveria ter começado essa ideia morando sozinho e longe de pessoas, assim, ele poderia arca com os próprios problemas sem envolver ninguém.

O fato é que agora não havia como voltar atrás, ele tinha que encarar de frente o que estava por vir.

Rael passou o resto da tarde cultivando, ele precisava aumentar suas forças. Depois de ver os níveis de seus inimigos cada vez mais altos, ele começou a entender que seu poder atual ainda não era suficiente para completar seus objetivos.

Rita entrou no quarto, se sentou ao lado dele e também começou a cultivar. Ali ficaram os dois concentrados cultivando.

Houve um momento durante a tarde que Barbara queria pedir ajuda da filha, mas ao vê-la ao lado de Rael cultivando, ela apenas fechou a porta silenciosamente e saiu deixando os dois sozinhos.

A noite chegou e Rael foi despertado pela presença de Rose a unicórnio.

Levantando-se ele passou por Rita e seguiu para o corredor se encontrando com Barbara.

Samuel, ― disse Barbara com uma pequena caixa azul nas mãos ― uma moça bonita trouxe isso para você. ― Barbara estendeu a mão entregando a caixa.

Rael rapidamente armazenou a caixa no bracelete, sem se quer conferir, e correu para fora. A essência de aura da Rose agora estava se afastando.

Rael ficou preocupado porque ela era uma besta celestial, e a cidade inteira poderia está tentando raptá-la ou matá-la.

Correndo e seguindo a essência da aura de Rose, Rael acabou se deparando com as costas de uma jovem mulher que seguia em passos acelerados pela rua. O que era estranho, porque a aura de Rose vinha dessa mulher.

Rael ficou confuso e chegou a parar por um tempo tentando compreender se a aura vinha mesmo dela.

A jovem parou e olhou para trás. Ela usava um vestido branco longo e sobre o seu rosto estava um véu.

Rael podia ver os olhos azuis brilhantes, um pouco de pele bem branca nos braços, no pescoço e uma pequena parcela de seus ombros delicados. Ele também conseguia ver um pouco dos seus longos cabelos azuis que desciam harmonicamente pelas costas.

A jovem parecia muito bonita fisicamente, e suas curvas já eram belas, mesmo que ela devia ter uns quinze anos, isso somando o fato que não era alta, talvez apenas um pouco mais que Rita.

Os dois ficaram se olhando e a jovem pareceu ficar ansiosa. Ela virou-se nervosamente e voltou a caminhar.

Espere! ― Rael não podia conter a preocupação e estranha sensação familiar que o olhar da jovem lhe deu.

Então ele avançou correndo pela rua. Quando a jovem percebeu que ele estava correndo atrás dela. Ela também começou a correr.

A velocidade dela ultrapassava e muito a de Rael que não havia se recuperado totalmente, ele estava apenas com cerca de 30% de seu poder total agora.

A jovem desapareceu em poucos minutos. Rael sentiu ela indo muito longe e ficou espantado, porque ele estava sentindo ela a mais de três quilômetros de distância.

Até que de repente ela sumiu totalmente e Rael parou ali no meio da rua respirando cansado. Ele entendeu que se tivesse com seus 100%, ela não teria conseguido fugir tão facilmente.

Como havia mais uma coisa que ele precisava fazer essa noite, ele não pôde fazer nada a não ser ignorar aquela situação.

Puxou a caixa azul que ganhou e abriu ali mesmo no meio da rua para conferir o conteúdo. Havia cerca de duas dezenas de pedras de bestas de rank baixo.

Umas cinco pedras de bestas de rank G e umas cinco de rank F. Isso o surpreendeu. Porque Rika tinha dito que arranjaria aquelas pedras a ele.

Voltando para casa ele conversou com Barbara e confirmou que a jovem que entregou a caixa tinha mesmo olhos e cabelos azuis.

Ela apenas entregou a caixa e disse o seu nome, mas nada além disso. Se virou e saiu. Ai fui entregar para você. ― disse Barbara.

Rael não sabia como interpretar isso, será que Rose tinha formado um contrato com essa jovem senhorita? Isso não seria possível, a menos que essa jovem também tivesse herdado o DNA de uma violadora.

Como ainda tinha muito tempo antes de ter que fazer o que queria, ele seguiu para o quarto. Rita ainda estava cultivando concentradamente.

Diferente de Rael, quando ela cultivava em seu estado profundo, ela não sentia a presença de ninguém, apenas se tocassem fisicamente nela.

Rael deixou Rita em paz e se ajeitou no canto da parede. Pegou algumas ervas, uma fornalha, uma fôrma de quinze espaços, algumas pedras de rank mais baixo e duas de rank F. Com as rank F, Rael poderia fazer uma pílula ainda melhor.

Quinze minutos depois ele havia criado quinze pílulas perfeitas da grande alma. Essas pílulas exalavam um forte cheiro doce e seu poder era tão intenso, que elas quase tremulavam nas mãos de Rael.

Qualquer pílula da alma só serviria para cultivadores que estivessem dentro dos três primeiros reinos.

Embora os valores dessas pílulas pudessem ser altos, elas não seriam muito caras. Devido a facilidade de encontrar os ingredientes e muitas pessoas serem capazes de criar.

Mas as de Rael eram diferentes, elas eram várias vezes mais potentes que qualquer pílula já criada por qualquer alquimista normal.

As pílulas da alma pequena aumentavam em 20% o cultivo por sete dias. As pílulas da alma média aumentavam em 30% por dez dias e as pílulas da alma grande aumentavam o cultivo de uma pessoa em 50% em até 15 dias. Essas eram as pílulas normais.

As pílulas grandes de Rael usavam algumas ervas e pedras espirituais a mais, misturando-as com seu poder da escuridão, ele era capaz de criar pílulas muito mais poderosas que as originais.

Enquanto na escola ele criou meras pílulas com 40%, que seriam 2 vezes melhores do que as originais, se ele quisesse, poderia criar uma com até 100%, fazendo ser 5 vezes melhor que a original.

Quinze pílulas da alma grande criadas com sucesso! ― pensou Rael puxando a fôrma na mão, usando aura para não se queimar. Puxou as pílulas e verificou suas potencias.

350% de aumento na aceleração de cultivo dentro de qualquer um dos três primeiros reinos! Com até 40 dias de duração de efeito cada! ― Rael ficou satisfeito com esse resultado.

Se alguém no mundo imaginasse que existia uma pílula com esse aumento, mesmo que fosse para os três primeiros reinos, até entrariam em guerra para conseguir, seja para os seus membros de clãs, filhos, seitas etc.

A criação dessas pílulas feitas por Rael era simplesmente impossível de se acreditar que fossem reais. Violeta tinha deixado claro que ele poderia se exibir, mas não a um ponto extremo como esse, se não a vida dele estaria em perigos impossíveis de serem encarados.

Rael virou-se com as pílulas nas mãos olhando Rita cultivando. Ela também estava se esforçando, depois de ver que seu poder atual era um lixo perto daqueles dois que quase a mataram, ela estava com outros pensamentos em mente. Não queria mais continuar tão fraca.

Rita faça uma pausa. ― disse Rael passando a mão no delicado ombro da garota.

A aura roxa de Rita em volta de seu corpo se acalmou gradualmente e ela abriu seus lindos olhos castanhos, olhando Rael.

Pegue, são pílulas que eu criei para você. ― disse Rael estendeu a mão.

A garota ainda recuperando seus sentidos aceitou as pílulas vermelhas, e sentiu elas vibrando em suas delicadas mãos.

Samuel eu já tenho pílulas, você não precisa me da essas. ― disse ela sem se quer analisar. Ela tentou devolver a Rael, mas ele impediu com a mão.

Rita, guarde esse segredo ta bom? E evite cultivar perto de outras pessoas além de mim está bem? Essas pílulas não são como as suas, elas vão aumentar em mais de 3 vezes sua atual cultivação. ― disse Rael parecendo casual.

Quando Rita ouviu aquilo seu queixo quase caiu. Se Rael tivesse dito em 50% ou 60% ela não teria ficado surpresa, dado a sabedoria de Rael, mas três vezes mais? Isso seria em torno de 300%!

Três vezes mais? ― Rita repetiu aturdida, ela com certeza achou que não entendeu bem.

Pra ser mais exato em 3,5. ― explicou Rael.

As mãos de Rita tremiam. Ela não precisava inspecionar as pílulas pra saber que aquilo era verdade, pois acreditava em Rael.

Eu-eu não posso aceitar, isso é demais para mim. ― Rita tentou devolver as pílulas. Porque se ela aceitasse algo como aquilo, ela jamais conseguiria dar algo de volta de mesmo valor.

Relaxa, você é minha Rita certo? Se você é minha Rita, então isso é apenas o mínimo que posso fazer por você. ― disse Rael.

Quando Rael disse essas palavras, Rita corou ficando completamente vermelha. Nesse momento ele disse claramente que ela era dele, e não irmã dele. Ela com certeza não entendeu errado.

Samuel, por que você não as usa em vez de me da? ― perguntou a menina novamente. Seu coração já estava badalando novamente.

Rael tinha dito aquilo propositalmente. Ele não estava planejando se casar ou algo assim, mas depois de ter Rita tão perto dele por vários dias, ele sentia que precisava manter ela com ele.

Por isso ele disse aquelas palavras, embora parecessem palavras casuais, Rael ficou um pouco nervoso por dentro, ele ainda não estava totalmente entendido do assunto, mas já começava a ter uma noção.

Essas pílulas não servem para mim, eu fiz pra você como forma de me desculpar pela outra vez, e também por tudo que aconteceu hoje. Você quer ficar forte, certo? Você deseja ficar ao meu lado, não é? Se esse for o caso, então aceite. Quando você chegar no quarto reino, eu prepararei uma nova pílula. Porque se você for ficar ao meu lado de agora em diante precisará ser forte. ― disse Rael.

Rita não conteve o nervosismo. Seu pequeno peito subia e descia. Rael praticamente estava confirmando que a queria com ele.

Ela não era especial, nem tão bonita como Mara, ainda sim ele estava mesmo confirmando.

Então nós… eu, você, somos… nós dois somos o que? ― Rita parecia se sentir nas nuvens ouvindo aquilo de Rael. Mesmo assim, ela queria confirmar, ter certeza absoluta do que ele tinha em mente.

Em resposta Rael chegou mais perto, ambos estavam sentados. Por alguma razão, Rael se sentiu extremamente nervoso.

Ele estava planejando beijar Rita, mas não sabia por que isso parecia tão difícil. Quando Violeta o beijou não pareceu difícil, mas agora era diferente.

A aproximação de Rael deixou Rita ainda mais nervosa, porque ele claramente estava encarando os lindos lábios dela.

Ela começou a ficar trémula, sempre sonhou com seu primeiro beijo. Os dois estavam bem nervosos. Rita esfregou os lábios sentindo que não poderia evitar essa ação e ela não queria, ela queria mesmo ser beijada por ele.

Rael continuou aproximando o rosto. Os dois estavam tão próximos que era possível cada um deles sentir a respiração um do outro.

Rael então criou coragem, envolveu uma mão por trás da nuca de Rita, tal como Violeta fez com ele antes, e moveu-se para beijá-la. Rita fechou os olhos esperando por Rael.

Vocês dois não vem jantar? ― a porta se abriu nesse exato momento e Barbara surgiu.

A cena que ela viu a fez abrir a boca, porque naquele exato momento Rael estava beijando Rita.

Não exatamente beijando os lábios, estavam apenas unidos, mas devido a repentina intromissão de Barbara, eles pararam completamente estagnados.

Rael podia senti seus lábios encostados nos macios lábios da menina a frente, mas a chegada de Barbara tinha o feito congelar repentinamente.

Em vez dos dois se jogarem para os lados, como geralmente ocorria em casos semelhantes, eles petrificaram.

Rita ficou ali parada porque Rael também não recuava. Ela estava muito deprimida por sua mãe ter os pego em um momento como aquele.

Então ela ficou paralisada desejando que aquele momento de vergonha passasse o mais depressa possível.

Oh desculpem atrapalhar, vou dar cinco minutos a vocês. ― disse Barbara que tinha ficado alguns segundos em silencio, ela saiu fechando a porta.

Ela sabia que aqueles dois poderiam ter algo, mas já estavam se beijando tão rápido assim? Ela não sabia se sorria ou se ficava preocupada.

Afinal Rita ainda era muito nova, e se Rael e ela ficassem juntos e acabasse rolando gravidez não seria um resultado interessante.

O corpo de Rita ainda precisava se desenvolver. Mesmo que ela apoiasse a filha, não conseguia parar de pensar nessas consequências.

Rael e Rita se afastaram praticamente ao mesmo tempo. Mesmo que Barbara já tivesse partido, aquele ar estranho ainda estava entre eles.

Eles tinham vergonha até de se olharem. Embora Rael conseguisse a olhar com muito mais facilidade.

Rael achou o jeito de Rita envergonhada extremamente bonito. Suas bochechas vermelhas e seus lábios pareciam muitos mais sensuais do que o normal.

Ela estava olhando de lado e poucas vezes olhava de volta pra Rael. Ela estava morta de vergonha, mesmo que eles não tivessem concluído todo o beijo, seus lábios ainda tinham se tocado momentaneamente e ficaram assim por vários segundos.

É melhor nós irmos jantar. ― disse Rael se levantando.

Depois estendeu a mão para ajudar Rita. Ela aceitou a ajuda e eles se levantaram. Por um segundo se encararam novamente e Rita recuou o rosto virando para o lado.

No jantar Adam estava animado dizendo que as vendas continuavam muito bem. Sua clientela tinha aumentado de tamanho graças a Rael.

Barbara olhava para Rael e Rita com muito mais afinco, mas não havia nenhum olhar de rejeição, na verdade ela estava bastante empolgada.

Embora ela planejasse lembrar a filha para ir devagar. Ela ia repassar todos os assuntos para que Rita não se deixasse levar.

Rita estava com vergonha e mal olhava para a mãe ou Rael. Ela estava comendo mais devagar que o normal, porque até suas pequenas mãos estavam tremendo.

Rael estava normal, um pouco nervoso, mas nem de longe esquentava a cabeça. As vezes ele até pegava o olhar de Barbara e encarava de volta até que ela mesma virasse o rosto.

Rael já se sentia diferente com Rita, e não estava se importando muito com o que os outros pensassem.

Vendo as ações de Rael, Barbara não podia ficar mais impressionada. Pois ela notou que ele realmente não se importava com ela. Era quase como se ele já fosse marido de sua própria filha.

Adam continuava lá empolgado puxando assunto com um ou outro sem fazer a mínima ideia da situação que se seguia.

Depois do jantar Rael retirou do bracelete um marcador temporal, era uma peça de metal redonda parecida com uma bússola, mas um pouco maior.

Havia uma tampa que Rael puxou de lado ficando presa pelo encaixe. A parte de metal liberada era dividida em duas formas, uma em cima com um pequeno desenho do sol amarelo, onde tudo era laranja. E embaixo, uma parte azul com uma lua negra pela metade, a cada pequeno espaço havia um número indicando o tempo do dia, assim como um ponteiro no centro que lentamente se movia. Atualmente marcava oito.

Rael disse que precisava sair e nem esperou ninguém dizer nada. Se ele não corresse, iria se atrasar.

Atravessando a cidade, Rael chegou a saída do Sul. Havia uma formação de grossas árvores no lado direito da saída, podia-se ver até a luz de uma possível fogueira.

Rael rapidamente se apressou contornando as árvores e encontrando uma mulher de costas que reconheceu de imediato ser Mara.

Ela estava de frente a fogueira. Seus longos cabelos escuros balançavam com o vento que soprava um pouco forte, até algumas faíscas do fogo subiam pelo ar.

Vocês demoraram. ― disse Mara que havia sentido uma presença chegando.

Ela não se virou, não era costume dela dar face para meros lixos. Aqueles dois mandados para matar Rita, eram simples lixos do clã Torres, eles fariam qualquer coisa para conseguir favores dela.

Acho que vou desapontar você. ― disse Rael friamente.

Ele apertou os punhos encarando as costas da mulher a frente. Ele estava a menos de cinco metros dela.

Quando Mara ouviu a voz de Rael, ela a reconheceu e entendeu que havia algo errado, então ela se virou abruptamente e seus cabelos fizeram uma curva no ar para acompanhar a velocidade.

Seus belos olhos azuis encontraram Rael e travaram nele. Naquele momento a sombra dela dançava sobre o corpo e a face de Rael, por causa do fogo agitado atrás. Ela não conteve a emoção de vê-lo e abriu um sorriso, que tanto parecia sedutor quanto frio.

Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo
Contribua com o novo site da Saikai Scan
By | 2017-08-29T18:06:34+00:00 29/08/2017 as 6:06|Herdeiro do Mundo|21 Comments

About the Author:

Yamasuke
Mais um procrastinador de plantão !
  • Meliodas

    Obrigado pelo cap! Ta nice!

  • Daniel Huggo

    Próximo capítulo vai dar treta. Talvez até um falecimento. XD

    • Igor

      Acho que ele vai seguir o que Violeta disse.

  • rafael1295

    “Afinal Rita ainda era muito nova, e se Rael e ela ficassem juntos e acabasse rolando gravidez não seria um resultado interessante.”Calma mulher já pula de beijo pra gravidez?kkk

  • Coqueixo Henrique

    “― Vocês dois não vem jantar? ― a porta se abriu nesse exato momento e Barbara surgiu.

    A cena que ela viu a fez abrir a boca, porque naquele exato momento Rael estava beijando Rita.”

    o tão famoso empata foda kkkkkkkk

    • Tyrone Costa

      Sempre tem um para estragar a brincadeira kkkkkkkk

  • Janailson Barbosa Granja

    Obrigado pelo capítulo

  • Igor Ribeiro

    Gravidez kkk calma mulher

  • Dannyel Batista

    partiu engravidar kkkkkk

    obrigado pelo capítulo!

  • Henrique Neiva

    Será que Rael vai tentar matar Mara? Eu acho que não, ele vai ameaçar ela se ela fazer isso de novo ele não, vai deixar passar ou coisa do tipo

    • Tyrone Costa

      Eu espero “outra coisa” se é q me entende kkkkkkkkkkkk

  • All

    Eu ri muito imaginando a cena da mulher abrindo a porta e eles parados se beijando kkk
    Me fez lembrar do meu primeiro beijo

  • Lordletal

    Creio que pelos comentários o próximo capitulo vai ser completamente inesperado hahaha

    • Andre dragneel

      Inesperado mais meio que sei como vai ser kkkk.

  • Winter

    Que empata foda é essa Bárbara, e ainda é exagerada hahaha

  • Rafael Borges Borri

    Valeu pelo capítulo
    Só uma correção.
    Aumento de 350% significa multiplicar o cultivo por 4,5 e não 3,5.
    100% dobra, 200% triplica, 300% quadruplica e por assim vai.

  • Marcos Kliemann

    Muito obrigado pelo capítulo, espero o próximo com ansiedade, acredito que a mara vai ser domada no próximo capítulo!

  • Andre dragneel

    So foi isso que imaginei quanto vi ele indo beija ela por vontade própria. https://uploads.disquscdn.com/images/95d1fbf582bb1398f1df44931ee8e5178d117f6f1081902c36214714d6214bf2.jpg
    Obrigado pelo capitulo!!!

  • Kuro

    Sempre tem alguém pra atrapalhar….

  • Kyoua Eduardo

    Po mulher. Atrapalhou a pesquisa do Rael xD

  • Henrique Oliveira

    1-Que capítulo ein
    2-Fiquei com vontade de ter essas pílulas kkkk
    3-Barbara sua otária