O Herdeiro do Mundo 16

/O Herdeiro do Mundo 16
Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Yan Fonseca

Capítulo 16 – O Encontro Com Mara

Dessa vez Rael encarava Mara de volta. Ele estava furioso, essa mulher tinha feito o passado dele ser mais difícil, e agora estava atualmente perseguindo uma garota de quem ele tinha se tornado amigo.

― Dessa vez você criou coragem para me olhar nos olhos? ― perguntou Mara com um tom admirado. Nem os próprios membros de clãs ousavam olhar Mara abertamente.

― Se você ousar tentar machucar minha irmã mais uma vez eu não perdoarei você. Você pode até ser a deusa do mundo, ainda sim, eu irei tirar sua vida ― disse Rael firmemente contendo o instinto assassino, por causa do que Violeta tinha dito sobre usar ela.

― Você tem mesmo coragem, desde que vi você enfrentando o clã Asura, eu fiquei impressionada. Mas eu devo deixar uma coisa bem clara ― disse Mara fazendo uma pausa e quando Rael percebeu já era tarde.

Ela avançou como um vulto e o agarrou no pescoço, levantando-o no ar e o empurrou contra a árvore. ― Eu não sou uma simples jovem mestra do clã Torres, meu status é muito mais alto e eu não fico atrás em poder ― disse ela apertando a garganta de Rael.

Mesmo Rael tentando se soltar com as duas mãos, estava difícil, se ele estivesse com sua força total aquilo com certeza não estaria acontecendo.

― Escute com atenção. Você é meu, você pertence a mim de agora em diante. Eu não quero nem sonhar em ver você com qualquer outra mulher. Será que fui clara? ― Mara falou.

Rael estava usando toda a sua força restante para se soltar porque estava quase sem ar. Sua mão direita forçou a agir sozinha e deu um tapa de mão aberta em Mara, acertando entre o meio dos peitos dela.

Mara o soltou e recuou uns cinco passos para trás quase caindo. Ela sentiu que Rael estava fraco no momento que o agarrou, por isso ela ficou surpresa com aquela explosão de força dele.

― Nada mal, você faz jus a minha escolha, conseguiu se soltar de mim mesmo em um estado tão deprimente ― disse ela ajeitando a parte do vestido no peito.

Ela sentiu o local onde Rael bateu queimando um pouco, não foi um simples tapa. Rael por outro lado estava de cabeça baixa se recuperando.

Rael inspecionou o nível de Mara e se surpreendeu. Mara estava no quarto reino, domínio da força nível cinco. Aquilo foi um grande choque, mesmo ele não esperava encontrar alguém com esse nível de poder ainda sendo tão nova. Não era atoa que ela o subjugou tão rápido.

― Eu nunca quis um homem obediente como um cachorrinho do meu lado ― disse Mara abrindo um lindo sorriso. ― Você é com certeza o homem que eu tanto procurei. Não só tem uma grande força, tem charme e até coragem.

― Não fuja do assunto, nós ainda não terminamos, você vai parar de perseguir Rita ou eu vou tornar as coisas difíceis para você ― disse Rael recuperando totalmente a postura.

Ele apertou os punhos irritado. Ele podia chamar Ralf e acabar com ela em um piscar de olhos, mas devido o conselho de Violeta, ele estava se contendo.

― A certo, você tem mais preocupação com sua irmã mais nova do que com você mesmo. Eu realmente não esperava que as coisas fossem ficar dessa forma ― disse Mara parecendo um pouco desapontada.

― Seja lá o que você quiser me diga, mas não tente mais atacar Rita ou qualquer um da minha família. Desde que você prometa deixar eles em paz eu ouvirei seu pedido ― disse Rael tentando conter o tom das suas palavras, ele soou mais calmo.

― Nunca foi minha intenção fazer você ter raiva de mim, ou deixar que você descobrisse isso, se chegamos a isso então temos que recomeçar ― disse Mara também se acalmando.

Ela realmente não queria Rael furioso com ela. Os planos que ela tinha para ele eram um pouco diferentes.

― Desde que você me de sua palavra sobre não machucar minha família podemos tentar ― disse Rael mantendo a calma.

― Tudo bem Samuel, eu dou minha palavra com uma condição ― ela então abriu um belo sorriso mostrando fileiras de dentes perfeitos. ― Se você prometer ser apenas meu ― disse Mara.

Ela jamais aceitaria dividir um homem com outra mulher, se ela pudesse ter essa garantia então ela estaria satisfeita.

― Por que você me quer tanto? Quais são seus planos? ― perguntou Rael em um ar sério.

Embora ele quisesse aceitar de imediato o pedido dela, ele ainda queria ter certeza sobre o que ela queria dele, ele precisava confirma que Violeta estava mesmo certa.

― Você não tem vontade de crescer? Se tornar alguém importante? Sair dessa cidade medíocre e partir na direção dos céus? Eu posso oferecer isso a você. Minha família tem poder, dinheiro, prestígio. Nós dominamos o continente sul e somos os mais fortes, embora tenha outros quatro clãs fortes também, eles ainda estão abaixo de nós. Eu sou filha do Ancião mais poderoso do meu clã, não somos do ramo principal, mas almejamos isso. Com sua ajuda poderemos subir juntos. ― disse ela.

Rael ficou um pouco em silêncio. Violeta estava certa, essa mulher queria mesmo usá-lo para crescer dentro do própria clã.

― Por que minha ajuda é importante? Você é bem forte, mais forte do que eu, não sei no que poderia ser útil ― perguntou Rael com calma.

― Meu ramo não pode assumir a liderança se eu não conseguir um marido. Mas não quero qualquer um, quero alguém forte, corajoso e talentoso ― disse ela.

― E você acha mesmo que eu sou a pessoa mais indicada pra isso?

― Você não tem que se preocupar com o que eu acho ― disse ela.

― Se você não é do ramo principal, quem é? ― perguntou Rael curioso.

Ele não sabia ainda se Natalia continuava no clã, ou se seu pai Romeo ainda era o patriarca, aquilo o deixou interessado por essa informação.

― Um patriarca estúpido com uma filha fracassada sem futuro. Eles não terão mais qualquer chance de continuar no poder, uma vez que perderem no torneio ― disse Mara com desdém.

Ela parecia estar se lembrando de algo enquanto falava com Rael. Ela virou-se de costas para Rael e ficou olhando as chamas.

Rael entendia que poder nesse mundo era algo que movia montanhas. Por isso ele soube do que Mara falava.

Olhando as costas de Mara ele teve que suspirar e engolir todo seu ódio. Violeta estava certa, ele poderia usar essa mulher e voltar para o clã.

Infelizmente ele reconheceu que sua força atual não era suficiente para ajudar na sua vingança. Ele poderia até seguir em frente, mas sua força seria um problema.

― Você ainda não me deu sua resposta e estou esperando ― disse ela olhando para as chamas. Lembrando Rael do inevitável.

A resposta de Rael envolvia muito mais do que vingança, envolvia um casamento com uma mulher que ele odiava, e possivelmente mais coisas envolvidas do que se podia imaginar. Quando Violeta disse a palavra sacrifício não pareceu ser tão difícil como estava prestes a ser.

― Você vai me levar imediatamente ao seu clã? ― perguntou Rael, antes de responder.

― Não seja estúpido, mesmo que você me diga sim a gente mal se conhece. Eu darei um tempo a nós para nos conhecermos melhor, o que me diz? ― perguntou ela e se virou de volta para Rael.

― Eu ajudarei você, mas não posso seguir sua condição ― disse Rael de volta. Nas palavras de Mara ele teria que se afastar de Rita e isso ele não queria fazer.

― Me ajudar? Na verdade isso é bem o contrário. Nesse momento você não é nada, mas se você se tornar meu marido, será parte de um dos maiores clãs e me terá como esposa. Vai me dizer que por acaso aquela pirralha é melhor do que eu? ― perguntou Mara com desdém.

― Posso não ser nada, mas tão rápido quanto eu entrei na sua vida, eu posso desaparecer e você nem vai sonhar que me viu ― disse Rael de volta.

― Faça isso e eu mato toda sua família até você aparecer, se eu não ficar satisfeita então mato todos da sua antiga cidade e depois procuro sua mestra ― Mara respondeu tão friamente que as palavras pareciam facas saindo de sua boca.

― É assim que você quer recomeçar? Sem conseguir parar de me ameaçar?

― Eu o dei uma condição bem simples e ainda sim você se torna tão relutante.

― Você não tem do que reclamar. Quando você apareceu, Rita já estava comigo, eu não sou obrigado a tirar uma pessoa da minha vida que chegou antes de você. Ela é minha irmã mais nova, não importa a forma que você me ameace, isso não vai rolar ― disse Rael firmemente de volta. Nem ele entendia porque era importante manter Rita ao seu lado.

Mara apertou os lábios. Rael era afiado nas palavras e teimoso. Ela não conseguia entender como ele tinha tanta coragem para enfrentá-la. Mas era isso que mais atraia a atenção dela, um homem que não aceitava tudo que ela dizia por medo.

― Que tipo de relacionamento você tem com sua Irmã?

― É o tipo que não interessa pra você, ela não vai atrapalhar seus futuros planos, se está preocupada com isso ― disse Rael de volta.

Mara se sentiu irritada, mas ao mesmo tempo feliz. Ela não conseguia entender seus próprios sentimentos confusos e também percebeu que ameaças não surtiam efeito em Rael.

Isso era bom, porque uma vez que ele estivesse a ajudando contra as outras partes de seu clã, ele precisava ser forte como estava sendo agora contra ela, sem ceder tão facilmente a qualquer pedido ou ordem.

Com esse pensamento ela se encheu de prazer e aceitação. Então ela sentiu um desejo enorme de agarrar aquele homem a sua frente como nunca sentiu antes.

Rael ainda esperava a resposta que não vinha, em vez disso, Mara avançou a passos na direção de Rael abrindo um sorriso sedutor, tão lindo que seria capaz de congelar homens.

Rael foi completamente pego de surpresa pelos braços de Mara, que o envolveu agarrando seu pescoço. Ele viu claramente aquela ação ocorrendo, mas se sentiu estranhamente vulnerável a aquela mulher e por isso não teve reação.

Ele foi pego despreparado por aquele sorriso incrível.

Tão rápido quanto se assustou por essa ação, ele teve seus lábios apertados pelos dela. Rael teve o instinto de fugir dela como um lutador faria contra uma presa.

Mas foi envolvido por aquela situação estranhamente agradável. Mesmo Mara sendo uma cretina de coração frio e fazendo parte da lista que estava em sua vingança.

Ainda assim ela tinha lábios macios, um hálito doce, um corpo quente e uma bela aparência.

Rael nunca tinha beijado uma mulher depois de atingir essa idade, e mesmo que aquela fosse uma mulher odiável, ele não conseguia negar o fato que fazer aquilo era bom.

Ele não entendia direito, mas o corpo dela se encostando contra o dele o fazia se sentir bem. Até os peitos dela estavam sendo empurrados contra o seu corpo e o cheiro dela não era nada desagradável, como ele pensou que seria.

Rael fechou os olhos imitando Mara e começou a corresponder o beijo por puro instinto, suas mãos entrelaçaram as costas de Mara e puxando contra ele com força a fazendo gemer um pouco de dor pelo aperto, mas não pararam de se beijar.

Com o corpo dela mais perto do dele, mais partes se tocaram, e com isso ele sentiu o próprio instrumento enrijecer de uma forma bem diferente do comum e quando encostava no corpo dela, dava a ele uma sensação melhor ainda.

Mara se sentiu desejada de uma forma que nunca havia sentido antes. Quando ela geralmente tentava ficar com algum homem, esses homens mal tinham coragem de passar a mão no braço por causa de seu apoio familiar. Beijar então? Eles até se tremiam de medo de dar um simples selinho nela.

Rael não! Ele estava a beijando com força, a apertando contra ele, chupando e lambendo os lábios dela, e ainda esfregando aquela coisa dura próximo as pernas dela. Não se sabia direito qual dos dois saiu mais do controle.

Mara pretendia dar apenas um pequeno beijo em Rael. Mas seu corpo agora não parava de pedir mais, ela continuava chupando a língua e os lábios de Rael numa fúria incessante.

Se por um lado Rael tinha perdido o controle pros instintos, do outro Mara estava numa situação parecida. O corpo dela parecia está em chamas e ela nunca se sentiu assim antes, deseja, sendo desejada por um parceiro sem medo.

As poucas experiências que ela já teve até aquele dia, tinham sido meras brincadeira de criança comparado aquilo.

Os dois se beijaram como dois animais ferozes por quase três minutos inteiros. Quando se afastaram ainda estavam recuperando o fôlego.

Rael ficou ali boquiaberto parado como um idiota. Ele odiava Mara, mas um momento atrás tudo tinha sido esquecido e ele desejou que aquilo não acabasse.

― Isso foi incrível e pelo que vi você também adorou ― disse Mara se virando e assoviou. ― Nos veremos em breve, é melhor não me tratar como uma estranha ou como se não soubesse de nada do que temos a parti de agora ― disse ela.

― E sobre sua palavra? ― perguntou Rael se recuperando um pouco.

― Não abuse da sua sorte garoto ― respondeu ela de volta.

Rael ouviu o som de uma cavalgada e um cavalo branco surgiu ao lado de Mara. Ela montou nele, deu uma última olhada em Rael e depois virou-se batendo as rédeas. O cavalo partiu levando Mara de volta para a cidade.

Rael ainda conseguia sentir o gosto de Mara na boca, suas roupas estavam com o cheiro do perfume dela. Seus instintos ainda estavam se acalmando, ele realmente nunca tinha sentindo aquele estranho desejo antes.


Rita estava no próprio quarto pensado. Sua mãe, Barbara, a pouco tinha tido uma conversa com ela.

Barbara não era contra ela ter um relacionamento com Rael, no entanto, ela não queria que a filha fosse muito longe. Ela tinha apenas treze anos e caso avançassem sinal agora, ela poderia até ter problemas com o corpo que não desenvolveria totalmente.

Se você quer ser bonita no futuro então não se deite com ele agora, uma gravidez fora de hora vai interromper seu desenvolvimento físico, podendo tornar você até numa futura mulher feia. Você não quer ser feia para Samuel no futuro certo? Então se cuide para que isso não aconteça. ― Rita se lembrava do conselho da mãe.

Rita nunca planejou nada disso, as coisas foram apenas acontecendo. Ela suspirou depois de fechar os olhos por alguns segundos e se decidiu.

Tirou uma das pílulas vermelhas do bracelete e olhou para ela entre seus dedos por um tempo. Depois levou a boca e engoliu.

Ela não sentiu nada de inicio, então de repente seu corpo inteiro por dentro começou a esquentar, seus meridianos se encheram de energia. Era tanta energia que transbordava do corpo dela mesmo sem ela se concentrar.

A cama que ela estava sentada começou a tremer, os panos foram empurrados e o corpo dela tremia.

Ela não estava nem cultivando e mesmo assim seu poder estava explodindo. Ela entendeu que se não tomasse logo o controle aquilo poderia ser pior.

Rita correu saindo de cima da cama e se sentou no meio do quarto. Imediatamente ela fechou os olhos e começou a tentar conter aquele poder assustador que irrompia do corpo dela.

As veias pelo seu corpo bombeavam uma energia assustadora, ela sentiu seu poder crescendo tão rápido que não parecia ser apenas 350% como Rael descrevera, era algo muito mais assustador.

Rita sentiu seu poder se acumular por dentro. Ela sentiu como se dentro de seu peito algo estivesse sendo criado, se preenchendo e crescendo.

Era algo muito maior e mais poderoso. Ela podia sentir os fios quentes de energia correndo por seu peito e se espalhando por seu corpo.

Ela sentia seu corpo se fortalecendo de uma maneira que nunca sentiu antes.

Ela rapidamente entendeu o que significava.

Eu estou passando de reino! ― Ela pensou, mas se manteve concentrada.

Faíscas de seu poder contornavam o quarto e consequentemente faziam as paredes tremerem.

― Filha do céu! ― Barbara abriu a porta espantada e Adam estava ao lado.

Ambos olharam a filha sendo cercada por todo aquele poder. Se fosse um pouco mais forte a casa poderia não aguentar.

Estou no segundo reino já indo pro nível 2 ― Aquilo chocou Rita mais uma vez.

Ela mal tinha mudado de reino e seu poder ainda continuava em um crescimento apavorante.

Ela não estava nem sabendo que seus pais estavam na porta agora. Estava tão concentrada que tinha até se apagado do mundo.

Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo
Contribua com o novo site da Saikai Scan
By | 2017-08-31T12:06:17+00:00 31/08/2017 as 12:06|Herdeiro do Mundo|20 Comments

About the Author:

Yamasuke
Mais um procrastinador de plantão !
  • Dannyel Batista

    Tadinha da rita :/ vai dar uma sofrida quando ver o Rael com a doida da Mara…mas, é o jeito né
    Pelo menos vai ter um up legal de poder nesse meio tempo hahaha

    Obrigado pelo capítulo!

  • Erick Lucas da Silva

    ( ͡° ͜ʖ ͡°)

  • yanmorais

    Esse Rael ( ͡° ͜ʖ ͡°)

  • All

    Olha os Hack, Real quase sacou a espada hoje

    • Tyrone Costa

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Janailson Barbosa Granja

    Obrigado pelo capítulo

  • Matheus Nascimento

    Eita hahauauauauauuauauau vai virar um escravoceta kkkkk.

    • Fullero.com

      Kkkkk quem vai condenar o mlk neh 😈😈😈😈😈

    • Edson Fernandes

      Será? Hahahaha só saberemos no futuro * – *

  • Fullero.com

    Muito bom.

  • Ronald Gonçalves Beruth

    Essa pílula é um chegar hack muito bom. E Rael galudao

  • Meliodas

    Obrigado pelo cap!

  • rafael1295

    Que é isso era só 350% mas parece que o Rael tava mentindo porque isso foi mais

  • Henrique Neiva

    Logo as coisas vão começar a ficar interessantes retornando ao clã Torre, dando início a sua vingança, só espero que ele não peguei leve com a família FDP. E eu aceitei que ele ia ameaçar Mara se ela tenta se mata Rita de novo.

    Vlw pelo cap.

  • Andre dragneel

    Hum…Safada essa Mara ela sádica masoquista KKKK
    E por que e sera que foi igual eu imaginei quanto Auto falo que próximo ep seria inesperado .
    Obrigado pelo capitulo 😀

  • vitor

    finalmente um personagem top que não viado, sem ofensa.

    • Tyrone Costa

      hahaha

  • Pain

    karai mano q foooooooooooooooooddaaaaaaaaaaaaaaaaaa

  • Kyoua Eduardo

    Não vira o Masoquista da história não Rael. Mete o pau nela… Isso soa meio errado nesse caso.

  • MS. Vírus

    Nossa O-O, essa novel ta indo pra uma direção muito foda